Centro de informação COVID-19. Encontre recursos, links e informações úteis para pequenas e médias empresas. Saiba mais

As moedas europeias sofrem com a rejeição das propostas do orçamento italiano por Bruxelas.

  • Voltar
  • Análise do Mercado de Câmbios
    Análise do Mercado de Câmbios|Geral
    Análise do Mercado de Câmbios|Relatórios especiais
    Comércio Internacional
    Comércio Internacional|Finanças para empresas
    Finanças para empresas|Fintech
    Finanças para empresas|Sobre a Ebury
    Fintech
    Fraude
    Geral
    Imprensa
    Relatórios especiais
    Sobre a Ebury
  • Latest

22 October 2018

Escrito por
Enrique Díaz-Álvarez

Chief Risk Officer at Ebury. Committed to mitigating FX risk through tailored strategies, detailed market insight, and FXFC forecasting for Bloomberg.

A Comissão Europeia tornou claro o seu desagrado em relação à proposta de orçamento do governo populista italiano, colocando Bruxelas em rota de colisão com Roma e contribuindo para o sentimento negativo relativamente ao Euro.

A Libra Esterlina também sofreu com informações indicativas a levarem mais uma vez os mercados a adiarem a tomada de medidas mais apertadas por parte do Banco de Inglaterra. O Euro e a Libra Esterlina arrastaram as restantes moedas europeias para baixo em relação ao Dólar norte-americano, que entre as moedas do G10 só desvalorizou relativamente aos Dólares australiano e neozelandês.

Na próxima semana as atenções estarão centradas na reunião de outubro do BCE, que se realizará na quinta-feira. As reuniões do Banco do Canadá, do Riksbank e do Norges Bank serão também críticas para as respetivas moedas. Nos Estados Unidos da América, as estimativas antecipadas do PIB do terceiro trimestre, apresentadas na sexta-feira, constituirão as principais notícias macroeconómicas da semana.

EUR

A moeda comum continua com dificuldades, enquanto os títulos do governo italiano são vendidos por valores muito baixos. O conflito entre Bruxelas e o governo populista de direita, da Itália, não parece ter resolução à vista e a Comissão Europeia parece mais inclinada a emitir um Procedimento por Défice Excessivo contra a Itália. Prevemos que a próxima reunião do BCE se vá centrar nas questões do orçamento italiano e na aparente incapacidade de a inflação subjacente europeia subir acima do nível de 1,0%. Enquanto esta não iniciar um caminho ascendente convincente, dificilmente se poderá esperar uma subida das taxas na zona Euro.

GBP

A ausência de novidades na frente política ou macroeconómica significa que a Libra Esterlina irá reagir principalmente às notícias e rumores sobre as negociações do Brexit. A ausência de qualquer progresso recente significa provavelmente que a reunião da EU, de novembro, irá passar para dezembro, serenando as tensões imediatas nos mercados cambiais. A taxa cruzada EUR/GBP está a lidar bem com este pessimismo, o que sugere que os mercados estão cada vez mais confiantes num período de transição mais alargado do que num Brexit difícil.

USD

O desempenho um tanto fraco dos dados sobre as vendas a retalho foi encoberto pelos dados de um mercado laboral forte, em que as vagas de emprego não preenchidas atingiram um novo recorde, ultrapassando de longe as expectativas. As actas da última reunião da Reserva Federal foram bastante agressivas e indicam que a pressão de Trump não fará os membros do Fed recuarem de contínuos aumentos graduais das taxas. Será interessante ler o que diz a publicação desta semana das previsões do PIB do terceiro trimestre, que sairá na sexta-feira, a respeito do défice comercial norte-americano e o impacto contínuo do estímulo fiscal.

Partilhar