Desenvolvimentos geopolíticos positivos guiam mercado cambial

Enrique Díaz-Álvarez12/Mar/2018Análise do Mercado de Câmbios

A conjuntura política mundial, na passada semana, roubou as atenções à reunião do BCE e à publicação do relatório do emprego nos EUA. A notícia de que o México e o Canadá estarão isentos das tarifas alfandegárias sobre o aço e o alumínio a aplicar por Trump impulsionou aquelas duas divisas, enquanto o anúncio de um encontro entre o ditador norte-coreano Kim Jong-un e o presidente Donald Trump suportou o Won coreano. As moedas do G10 apresentaram o comportamento esperado num ambiente de risco, com o Franco suíço e o Iene japonês em baixa e os Dólares australiano e neozelandês em alta. A Libra Esterlina, o Euro e o Dólar dos EUA terminaram a semana sensivelmente no nível em que a haviam começado.

Embora a agenda desta semana esteja relativamente pouco preenchida quanto à publicação de dados, o relatório da inflação norte-americano, na terça-feira, será a última informação crítica antes da reunião da Reserva Federal da próxima semana.

EUR

A notícia da aprovação do acordo de coligação para formar governo na Alemanha foi anulada pelo avanço das forças populistas nas eleições italianas, permitindo que o Euro continuasse a negociar indiferente no início da semana. A reunião do Banco Central Europeu (BCE), na passada quinta-feira, também acabou por ser pouco relevante, tendo deixado o Euro quase inalterado face ao Dólar durante o resto da semana. À semelhança da Libra, a agenda para esta semana está pouco preenchida, e apenas os números da produção industrial poderão orientar a negociação do Euro.

GBP

A Libra Esterlina beneficiou, na passada semana, dos resultados acima do esperado nos inquéritos de atividade empresarial PMI. À falta de notícias de relevo sobre as negociações do Brexit, esse facto foi suficiente para dar um impulso moderado à Libra e colocá-la a ganhar face ao Euro e ao Dólar. Esta semana também se adivinha tranquila e a Libra deverá transacionar, sobretudo em reação a acontecimentos externos.

USD

Os receios de uma guerra comercial mundial recuaram um pouco, depois de os EUA declararem que o México e o Canadá estarão isentos das tarifas alfandegárias sobre o aço e o alumínio e de que outras isenções poderão ser ponderadas. O relatório do mercado de trabalho, publicado na sexta-feira, evidenciou níveis muito fortes de criação de emprego, que se refletem na entrada de novos candidatos para a população ativa; a taxa de desemprego e os salários não apresentaram grandes alterações, mantendo-se o crescimento dos salários confortavelmente acima da inflação. De uma forma geral, o relatório é compatível com três ou quatro aumentos das taxas de juro diretoras, em 2018.

Esta semana, o relatório de inflação, publicado na terça-feira, fornecerá mais informações sobre um dos fatores que mais peso tem na decisão de aumentar as taxas da Reserva Federal nos próximos trimestres.

Print

Written by Enrique Díaz-Álvarez

Diretor de Risco da Ebury. Responsável pela gestão estratégica e análise do mercado de câmbios para a empresa e seus clientes. Enrique é reconhecido pela Bloomberg como um dos analistas mais precisos e exactos nas suas previsões de câmbios.