Otimismo da Reserva Federal e resultados das eleições alemãs interrompem ganhos do Euro

Enrique Díaz-Álvarez25/Sep/2017Análise do Mercado de Câmbios

A Reserva Federal (Fed) deixou bem claro que tenciona proceder a um novo aumento das taxas de juro na reunião de dezembro. O famoso gráfico “dots plot”, que apresenta as projeções de cada membro do Comité FOMC quanto à evolução futura das taxas de juro, colocou em evidência a disparidade existente entre as expectativas demasiado baixas dos mercados e as expectativas da Fed. O Euro, que caiu acentuadamente com a divulgação destas notícias, conseguiu recuperar a maior parte das perdas na sexta-feira, na sequência dos dados económicos positivos publicados para a Zona Euro, para voltar a cair no domingo à noite, durante a sessão dos mercados asiáticos, após os resultados superiores às expectativas, alcançados pela extrema-direita nas eleições alemãs.

A semana que agora se inicia deverá ser relativamente tranquila, pelo menos até sexta-feira, dia em que será divulgada a estimativa rápida da inflação na Zona Euro para o mês de setembro. Se a taxa de inflação subjacente, que exclui as componentes de alimentação e energia, não começar a subir em breve, é cada vez mais provável que as previsões do Banco Central Europeu não se venham a concretizar.

EUR

Os bons resultados obtidos nos indicadores de atividade empresarial PMI relativos ao mês de setembro confirmam as perspetivas positivas para a economia da Zona Euro, e explicam a rápida recuperação da moeda única, após as perdas registadas na sequência da reunião da Reserva Federal norte-americana. Por outro lado, os resultados das eleições alemãs, conhecidos no domingo à noite, tiveram um efeito globalmente negativo sobre o Euro. Tendo em conta a ascensão do partido de extrema-direita e a decisão do partido social-democrata de passar à oposição, a Chanceler Angela Merkel, apesar de manter o mandato governativo, ver-se-á obrigada a formar uma coligação complicada com os Verdes e os Liberais. A incerteza decorrente deste cenário não constitui um fator positivo para a integração europeia, tendo o Euro cedido algum terreno no domingo à noite, durante a sessão dos mercados asiáticos.

GBP

Não estando prevista a publicação de dados importantes sobre economia ou política monetária, a Libra deverá voltar a transacionar em reação ao ritmo e tom das negociações do Brexit. Ora, as próximas semanas não deverão trazer uma maior clareza a este processo negocial. Assim, depois do recente movimento de forte valorização, é provável que a Libra faça uma pausa em relação ao Dólar e aguarde pela próxima divulgação de dados sobre a economia e inflação no Reino Unido antes de regressar aos ganhos face ao Euro.

 

USD

A reunião da Reserva Federal, realizada na passada quarta-feira, validou por completo a nossa opinião de que existe uma clara divergência entre as expectativas do mercado e da própria Fed, no que diz respeito à evolução das taxas de juro. Muito embora o tom mais agressivo adotado nas declarações do Comité FOMC tenha contribuído para uma revisão em alta das expectativas do mercado, a discrepância continua bastante acentuada.

Na sexta-feira à tarde, é divulgado o dado mais importante desta semana – o indicador de inflação PCE (deflator do consumo privado) referente ao mês de agosto. Tendo em conta as repercussões do impacto dos recentes furacões, é de esperar alguma volatilidade no final da sessão de sexta-feira.

Print

Written by Enrique Díaz-Álvarez

Diretor de Risco da Ebury. Responsável pela gestão estratégica e análise do mercado de câmbios para a empresa e seus clientes. Enrique é reconhecido pela Bloomberg como um dos analistas mais precisos e exactos nas suas previsões de câmbios.