Os desafios que as Fintech trouxeram à banca

Duarte Líbano Monteiro05/May/2016Fintech

 

O setor da banca tem vindo a consciencializar-se da necessidade de alterar e adaptar as suas estruturas. Os desafios lançados por pela conversão digital, com clientes que esperam obter agilidade nas transações, obrigam a investir em questões tecnológicas e a melhorar a sua eficiência. Foi neste contexto que surgiram as Fintech, uma alternativa aos bancos nos serviços financeiros, tradicionalmente realizados através destes, mas através de uma forte componente tecnológica e, como tal, com custos e tempos de resposta exponencialmente menores.

É sobretudo o setor das Fintech  que está a conseguir acompanhar o ritmo do avanço tecnológico na prestação dos seus serviços. Veja-se como o facto de uma empresa fundar a sua atividade no uso da tecnologia avançada pode fazer tanta diferença na prestação dos mesmos serviços, no caso a aquisição de um cliente, a aprovação de um crédito e um pagamento feito num país emergente.

Num banco, o registo de um cliente e abertura de conta em moeda estrangeira demora em média uma semana. Na Ebury esse processo demora menos de duas horas e é feito online. De igual modo, a aprovação de uma linha de FX não demora mais de duas horas , enquanto que um banco, a mesma pode tardar até duas semanas.

Os pagamentos em moedas de países emergentes são desafiantes para os bancos porque estes trabalham sobretudo com as principais moedas, o que faz com que demorem sempre um mínimo de 2 dias até o dinheiro entrar na conta do destinatário. Na Ebury, 80% dos pagamentos em moedas de países emergentes são feitos no próprio dia.

Este são apenas alguns exemplos práticos de como as empresas Fintech estão a conquistar espaço antes ocupado por grandes instituições que, por serem máquinas tão grandes e tão rotinadas, não estão a conseguir acompanhar o ritmo a que as exigências dos clientes estão a mudar.

 

 

Print

Escrito por Duarte Líbano Monteiro

Diretor Geral da Ebury Ibéria. Profissional com vasto conhecimento acerca da indústria financeira e com mais de 10 anos em experiência em gestão e direção de vendas. Lidera a forte expansão da Ebury para o mercado de Portugal e Espanha.