Mercado do Dólar em baixa perante escalada de riscos geopolíticos
Uma época natalícia inusitadamente volátil deixou o Dólar em níveis abaixo da maior parte das moedas.
N
a ausência de novidades macroeconómicas ou de políticas de relevância, as atenções dos investidores estão centradas na notícia da morte da figura da mais alta patente militar do Irão por um drone norte-americano. Curiosamente, a primeira reação dos mercados foi a desvalorização do Dólar americano, ainda que não de forma significativa.

Para além dos últimos desenvolvimentos no Médio Oriente, dois acontecimentos concentrarão as atenções dos mercados. As estimativas sobre a inflação da Zona Euro serão publicadas na terça-feira e prevemos que confirmem a continuação da tendência ascendente da inflação subjacente. Na sexta-feira sairá o relatório de dezembro sobre os salários nos EUA. As expetativas são de manutenção dos níveis positivos verificados em novembro.

GBP


A Libra recuperou quase tudo o que havia desvalorizado face ao Euro no último dia de 2019 em virtude da procura de liquidez. No curto prazo, o desempenho da Libra será influenciado quer por movimentações do Euro face às moedas mundiais, quer pelas notícias das negociações de um acordo final para o Brexit. Se as negociações anteriores servirem de indicadores fiáveis, não é provável que recebamos notícias determinantes para o mercado antes de uma maior aproximação dos prazos impostos pelo próprio Reino Unido.

EUR


Grande parte dos indicadores de sentimento da Zona Euro continua a subir, salvo o caso evidente do setor industrial alemão. Os dados sobre a inflação desta semana são fundamentais. A inflação subjacente tem mantido a escalada dos últimos meses, encontrando-se em vias de transpor a meta dos 1,3%, que havia sido fixada no início de 2017. Valores acima deste nível seriam muito significativos e um forte apoio para o Euro.

USD


Enquanto as crescentes tensões no Médio Oriente potenciaram alguns refúgios, como o Iene japonês e os títulos do tesouro americano, o Dólar americano ainda não se juntou à corrida. Os títulos do tesouro americano recuperaram acentuadamente, reduzindo a diferença entre as taxas de juro americana e a da Zona Euro. Em termos económicos, os mais recentes dados de segunda linha publicados nos EUA e o relatório do emprego da próxima sexta-feira terão uma importância acrescida.
Imprimir