Dólar recupera de nervosismo de guerra comercial

Enrique Díaz-Álvarez16/Jul/2018Análise do Mercado de Câmbios

O dólar recuperou das perdas das últimas semanas, com negociações algo conturbadas. Este comportamento pode explicar-se (embora algum tempo após o facto) pelo comportamento errático de Trump nas reuniões com os líderes europeus e pelas suas ameaças constantes de inverter as relações comerciais de uma forma mais ou menos aleatória. Não obstante, a moeda norte-americana conseguiu crescer face às principais moedas mundiais, à exceção de algumas moedas latino-americanas.
O principal acontecimento da semana será a declaração semestral do Presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, ao Congresso norte-americano, na próxima terça ou quarta-feira. Vamos estar atentos a qualquer sinal de preocupação da Reserva Federal, com uma possível guerra comercial séria entre os EUA e os seus principais parceiros comerciais.

EUR
Uma semana excecionalmente calma no que se refere aos dados económicos significou que os traders do Euro reagiram a pouco mais do que as artimanhas de Trump. A moeda comum viu fugir os ganhos da semana anterior, como consequência de transações incoerentes. Esta semana prevê-se igualmente dispersa e as mesas das transações, um pouco vazias, estarão atentas ao Conselho de Assuntos Gerais, que terá lugar na sexta-feira, a fim de obter esclarecimentos sobre o estado das negociações para o Brexit do lado da União Europeia.

GBP
A demissão de importantes membros do governo da primeira-ministra Theresa May teve, surpreendentemente, um efeito muito reduzido na negociação da libra esterlina na passada semana. Os mercados sossegaram com a publicação do Livro Branco sobre o Brexit que constitui pelo menos uma base para as negociações, e com o facto de Theresa May parecer preconizar uma saída do Reino Unido mais suave do que havia sido temida.
Esta semana, as principais novidades macroeconómicas devem permitir aos mercados descansar das reações aos principais títulos políticos. Os dados sobre o mercado laboral (terça-feira) e os números relativos à inflação (quarta-feira) devem trazer alguma luz sobre a aguardada subida da taxa pelo Banco de Inglaterra, em agosto, e oferecer algum apoio à Libra.

USD
Na semana passada, os principais dados publicados diziam respeito à inflação dos Estados Unidos da América, que subiu praticamente tanto quanto estava previsto. Esta semana, para além dos anúncios sempre imprevisíveis da administração Trump relativamente ao comércio, os mercados estarão muito atentos às palavras do Presidente Powell no Congresso. Estamos ansiosos por saber mais sobre as ideias da Reserva Federal em duas áreas: o potencial impacto de uma guerra comercial na política monetária norte-americana, e as reações do banco central sobre a ausência de pressões salariais significativas, apesar do baixo nível de desemprego. Pensamos que novas informações em qualquer uma destas áreas poderão contribuir para ainda mais volatilidade do que o esperado nos mercados cambiais.

Imprimir

Escrito por Enrique Díaz-Álvarez

Diretor de Risco da Ebury. Responsável pela gestão estratégica e análise do mercado de câmbios para a empresa e seus clientes. Enrique é reconhecido pela Bloomberg como um dos analistas mais precisos e exactos nas suas previsões de câmbios.